sábado, 10 de agosto de 2013

Meu Querido Papai
















Minha memória ainda guarda lembranças tão antigas que são resquícios, de quando eu era apenas uma menininha de tranças, vestido rodado e sapatinhos de fivelas, a boneca de pana pendurada por uma das mãos, a outra segura pela mão carinhosa  de mamãe, e você caminhando ao nosso lado protetor. Em meu pequenino mundo você era o rei e eu a sua princesinha.
Os anos passando, eu crescendo sempre amparada por ti. Sua voz de barítono ainda ecoa em minha memória; sua  rizada apesar de rara, enchia o meu coração de coragem, de leveza. Lembro-me de como procurava sempre ouvir tudo o que tinhas a dizer, e sua palavra era lei. Você era o mensageiro do bem, da verdade, da bonança, da alegria e da paz em nosso lar.
Caminhar ao cair da noite, pelos caminhos de terra batida iluminada pelo luar, que deixava a estradinha branca como a neve, ouvindo os ruídos da noite e sua conversa amena com mamãe. Era definitivamente um mundo de paz. Era o meu mundo de paz, e ele só era possível por causa de você Papai.

E o tempo ia correndo, as mudanças ocorrendo, tudo exatamente como deveria ser; irmãos chegando a cada tempo, e assim o foi até que me dei conta; estava adulta, e você envelhecido, pronto para se aposentar. 
Sempre que lhe via a cabeça embranquecida pelos anos e pelos sofrimentos, um suspiro dorido subia no peito. Era o prelúdio da separação física inevitável.

Eu acostumara a beber suas sábias palavras e a guardá-las como tesouros num cantinho muito especial papai; O cantinho do senhor em meu coração. Você se lembra disso? Eram nossos momentos! Eu não era mais a muito tempo uma criança, mas você  nesses momentos ainda fazia eu me sentir aquela menininha de tranças. Era tão especial! Acho que você sabia disso! Já não trazia nas mãos a boneca de pano, mas agora os livros e cadernos, e ainda contava com a sua sabedoria, para enriquecer minha alma. 
E você conseguiu Papai. Você conseguiu!

Um dia, chegou a hora da separação e você se foi, deixando um vazio tão grande que parecia ter me deixado num deserto. Mas  nós sabíamos que a realidade não era assim tão cruel né Papai?

Você jamais me deixou, por isso, mais uma vez, hoje posso lhe homenagear, desejando-lhe aí onde você vive agora, todo  o meu carinho e gratidão de filha. 
Te amo e te amarei para sempre Papai.
Feliz Dia dos Pais aí no "Céu"!

9 comentários:

Verinha disse...

olá Eunice...
emocionante o teu depoimento.
tu como eu também não tem mais teu paizinho né?
mas a saudade é enorme.
e nessa época do ano ficamos mais emotivas.

bjinho

eunice4590@hotmail.com disse...

É Verinha, mas o tempo se encarrega de nos ajudar a sobreviver sem eles juntos a nós. Mas a história sempre se repete. Ontem ajudei uma amiga a levar até o túmulo o corpo de seu irmão. No final quando todos debandavam cemitério afora, vi a viúva se abeirar do túmulo abraçada ao filho adolescente, e ali ficarem por alguns minutos em silencio os dois. Hoje ao buscar por notícias, soube que a noite apos o sepultamento, o garoto teria a cerimonia de formatura, e ele estava encarregado de fazer o discurso de homenagem aos pais.
conto isso pra dizer que sempre vamos encontrar pessoas cujas feridas estão ainda sangrando cuja dor é bem maior que a nossa, cujo tempo vem cicatrizando devagarinho.
Um grande beijo minha querida. Oremos pelos nossos pais. Eles teriam orgulho de nós se pudessem nos ver.

Ana Brito disse...

Olá Eunice,sua postagem está perfeita!
Vc sabe usar as palavras para nos emocionar.
Belíssima homenagem ao seu falecido pai.
Bjinho!!!

Clarina disse...

Oi Nice que linda homenagem , quando chega a hora de partirem , realmente o que permanece são as lembranças dos momentos que nos marcam e isso é maravilhoso.
Deus abençõe
Beijinhos

Eunice Terra Fomm disse...

Grata Clarina. De fato, o que fica são as lembranças, elas são tesouros inestimável. Me lembro de tudo, como o som da voz, o cheiro, o toque das mãos enquanto eu pedia a sua benção a cada chegada ou partida. Tudo isso está bem vivo, então, o que foi embora foi apenas a sua presença física. Tanto ele quanto mamãe. E eu os amo cada dia mais. Quanto mais se aproxima da minha vez de partir.
Beijos querida. Tenha uma semana abençoada!

Roseli disse...

Querida amiguinha Eunice, estou fazendo visitas e me emocionando, em cada história revivo a minha, a mesma história, claro ainda tenho meu pai, mas sei e tenho que me acostumar com a ideia que o fim está cada vez mais perto pois a tristeza o tem invadido e seu coração está cada vez mais fraquinho, vendo o seu depoimento mais uma vez me emociono. É temos que viver cada momento e viver bem, linda homenagem querida, bom dia querida e beijinhos para ti.

Eunice Terra Fomm disse...

É isso mesmo querida Roseli, costumo dizer que pai, mãe avós, são serem em via de extinção, e devemos cuidá-los com esmero. Nunca é demais, por eles nos doaram seus melhores anos, suas forças, energias e esperanças.
Mas nada de fazer desses momentos, momentos tristes. nada de sofrer por antecipação. Eles merecem a nossa alegria a cada instante. Rogo ao Criador, que os mantenha juntos por muitos anos ainda.
Grata pela visita e comentários querida! Boa semana!

Ana Cristina Thomé disse...

Amada flor boa noite! Linda a sua homenagem ao Dia dos Pais. Como é maravilhoso o amor de um pai, de uma mãe. Me emocionei muito com essa homenagem. Minha flor tenha uma linda e abençoada noite. Bjs

Eunice Terra Fomm disse...

Ana Cristina Thomé, Grata pela visita e comentários. Sabemos que quando quem fala é nosso coração, os outros corações são tocados. Na verdade minha 'fala' é a de milhões de falas de filhos e filhas que receberam o amor paternal. Somos abençoados por progenitores tão especiais, e homenageá-los é o minimo que podemos fazer. Perpetuamos o seu pensamento, mas não devemos perder a oportunidade de perpetuar-lhes a sua história, mesmo que assuas imagens desapareçam das fotos pelo tempo.
Bjs!