quinta-feira, 3 de março de 2016

Eu sou Eu mesma! Te incomoda?



Eu sou Eu mesma! Te incomoda?
O problema não está em mim, mas no seu  desconforto com minha personalidade.
Durante muitos anos de minha vida, especialmente nas fases da infância e depois adolescência, juventude e início da idade adulta fui retraída, contida, e portanto o que  se podia ver de mim, não era a expressão real de quem eu era.
O tempo todo em que eu me mantinha retraída, calada, eu ‘ruminava’ , refletia e tinha longos diálogos mentais. Costumava refletir sobre os assuntos que foram  debatidos formava minhas opiniões, porém algo me bloqueava a capacidade de me expressar. Sempre sabia exatamente o que dizer. Mas como superar meus bloqueios?
E o duro era que tudo aquilo  ficava armazenado e me sentia ‘entupida’, como um armário abarrotado de coisas que nunca eram usadas.
Certa feita, me aventurei a estudar teatro; e vi o quanto foi bom. Não tinha pretensão em trabalhar na área, mas foi uma  oportunidade  incrível de me expor, principalmente nos laboratórios, quando  apenas com uma ideia era forçada a exteriorizar-me, a buscar em mim material para realizar a tarefa proposta.
Depois disso, fiz curso de oratória, pois tinha sido escolhida por contingências específicas  para ser expositora de temas espíritas na casa onde frequentava. E esta foi uma das mais incríveis experiências da minha vida, e que definitivamente me curou! Rs!
Depois disso me tornei  outra pessoa!
Resolvi escrever sobre isso hoje, porque  há dias, fiquei impactada com uma fala de uma das minhas filhas que me podou por duas vezes enquanto conversávamos com a frase:_ “Mãe! Você fala muito! “ 
Aquilo ficou me incomodando por  algum tempo, até que dividi com uma amiga, e esta me disse: Sabe porque? Porque você sempre diz a verdade, e a verdade costuma incomodar quem ouve!
 Bem, pensei: Deve ser isto mesmo!
Mas ainda não havia resolvido a questão. Fiquei refletindo que talvez eu devesse  mudar , passando a ser mais contemplativa e menos falante! Mas não sou do tipo que abre a boca sem pensar no que vou dizer, e o que aquilo possa contribuir ou não, ofender ou não quem ouve! Não gosto de magoar pessoas, alias  tenho horror só de pensar que algo que eu faça ou diga possa ferir alguém de alguma forma! Por outro lado gosto de passar adiante o que aprendi, porque entendo que não se deve armazenar conhecimentos sem possibilitar que outros deles se beneficiem!
Numa outra situação ficou claro a falta de paciência que as pessoas (principalmente os jovens),  tem em escutar o outro! Isso me causa certo pesar, pois eu adorava ouvir os mais velhos e deles compreender um pouco mais da vida; tive aprendizados que nenhuma universidade é capaz de proporcionar! Ao que sou eternamente grata!
Em mais outra, entendi que existe uma ‘moda’ que leva uma pessoa a copiar a outra. A TV, é um veículo que estimula as pessoa a copiar  outro, criando uma sociedade de robôs humanos, imbecilizando-os!
De repente alguém diz uma frase, e esta se torna a fala de milhares de pessoas.
Quer um exemplo? Alguém disse: ‘’Olha ela!’’, em algum programa de tevê ; e você pode ouvir pessoas repetindo isso como se fora uma daquelas bonecas antigas que vinham com uma frase gravada, bastando apertar sua barriguinha pra ouvir.
Vejo isso, com alguma antipatia, e me recuso a sair repetindo outras pessoas feito papagaio!
Vejo pessoas sem autenticidade, e pior em coisas simples, bobas!
Há uma ausência de vontade em usar sua própria capacidade em refletir, em ser si mesmo, mas em contrapartida, uma espécie de êxtase ao repetir o outro, ao ponto de uma frase ou expressão boba, se popularizar como ‘’minerva’’!  Chamo-os de ‘teleguiados’ guiados sob surto hipnóticos pela tela da televisão. Sem personalidade ou com personalidade frágil, manipulável!
Falta imaginação?
O brasileiro é tão inventivo, tem uma veia humorística tão genial, original, porque  copiar ao invés de criar?
Posso ser falante, e incomodar; mas o tempo em que eu não conseguia abrir a boca e me expressar ficou no passado.
 Não tenho mais  nenhuma disposição de morrer engasgada com minhas ideias; e se, não posso verbalizar, posso escrever.
Se não gostas de ler o que escrevo, só posso lamentar por você.
 Jamais por não ter me expressado!

5 comentários:

Jussara Silva disse...

Eunice, você traduziu em palavras o que eu penso.
👋👋👋👋
Como me identifiquei!
Linda tarde! Bjo.

Eunice Terra Fomm disse...

Que bom querida Jussara!
Tenhas também uma lida tarde! Bjks!

Eunice Terra Fomm disse...

Jussara querida, suspeito que somos muitas ou muitos que pensam como nós, Escrever sobre me deixou leve, seus comentários contribuiu mais ainda!
Boa noite menina!

Ana Brito disse...

Oi Eunice,boa noite!
Eu estava dando uma olhadinha no painel do meu blog para ver as postagens dos outros blogueiros e seu texto me chamou a atenção,tanto que vim até aqui pra continuar com a leitura.
Adorei tudo o que vc expressou e,assim como a Jussara me identifiquei em suas palavras,pois fui uma jovem muito introvertida,tinha medo de falar,porém,por dentro havia um turbilhão de ideias que não conseguia pôr pra fora!
Amei estar aqui!
Bjs e tenha um maravilhoso fim de semana!

Mamuska Fomm disse...

Ana Brito, Muito bom encontrar ecos como os seus. Isto me deixou feliz. Boa semana e um forte abraço!