quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Matriz do Senhor Bom Jesus da Cana Verde


         A história da Matriz do Senhor Bom Jesus da Cana Verde se confunde com a história da região, quando os desbravadores dos sertões em expedições por estas paragens, denominavam esta nossa região como o Sertão da Farinha Podre, pois em suas viagens rumo ao ouro e as pedras preciosas de Goiás, deixavam armazenadas em abrigos, distribuídos por estas paragens, alimentos tais como, farinha, carne seca, etc., para o retorno da viagem e também para aliviar o peso das cargas. Mas o que acabava acontecendo, era que devido às chuvas intermitentes e o calor excessivo, estes alimentos estragavam daí vem o nome. Com estas expedições e toda esta movimentação rumo a Goiás, começaram a surgirem povoados em nossa região, garantindo a conservação das rotas e a segurança das expedições incentivando a formação e manutenção destes povoados, e assim surgia o povoado de Ventania, mais tarde Vila do Brejo Alegre e depois a cidade de “Araguary”, com “Y” porque era a grafia utilizada na época.



                   Por volta do início do século XVIII, surgia a capela, hoje igreja do Senhor Bom Jesus da Cana Verde, e no entorno do largo onde se encontrava a capela, surgiam às primeiras construções com isto conseguia fixar as pessoas nas localidades demonstrando todo o poderio político social que a igreja exercia naqueles tempos, onde frequentemente recebiam doações de terras e dinheiro para as construções e para sua manutenção, fortalecendo o convívio entre os fazendeiros e a Igreja. Já em 06 de agosto de 1864, com a Lei nº 1195 acontece a transferência da sede da Paróquia de Sant’ Anna da Aldeia da Barra do Rio das Velhas (Indianópolis) para a Capela do Distrito do Brejo Alegre, na época município de Bagagem, hoje Estrela do Sul
http://www.paroquiasenhorbomjesus.org.br/arquivos/image/foto1.jpg

                                                                Fonte:www.portaldearaguari.blogspot.com






                   Berço da cidade, o Largo da Matriz, como era conhecido, foi por muitos anos o centro religioso, administrativo e social do pequeno vilarejo, nele havia um coreto, no qual eram feitas apresentações de concertos populares de bandas musicais em dias santos e feriados. No Largo encontrava-se a Câmara Municipal, o Fórum, a Cadeia, o Cartório de Registro Civil e a Escola, estas construções eram necessárias para a emancipação política da Vila para a Cidade o que aconteceu em 1888.

                   A antiga capelinha da igreja Matriz do Senhor Bom Jesus da Cana Verde, passou por quatro grandes construções/reconstruções 1900, 1920, 1940 e 1960 e em 1985 uma alteração menor com o acréscimo da Secretária da Paróquia. Pelo que pudemos observar estas mudanças foram feitas acompanhando as mudanças provocadas pela modernidade, mudanças estas que podem ser acompanhadas pelas fotografias da igreja e do entorno do Largo da Matriz, ao longo das décadas.


Fonte:http://peron-erbetta.blogspot.com


                   A imagem do Senhor Bom Jesus da Cana Verde, que se encontra hoje no altar principal da Igreja, representa o momento do julgamento de Jesus, quando os soldados pra ridicularizá-lo, retiraram as suas vestes, vestiram um manto de cor púrpura, colocaram um coroa de espinhos na sua cabeça e um feixe de cana verde nos braços e o apresentaram como o Rei dos Judeus.

                                   

          

                   Em 23 de abril de 1968, o poder público municipal declara que o dia 06 de agosto passa a ser feriado na cidade de Araguari (MG), tornando assim o Senhor Bom Jesus da Cana Verde padroeiro do município, neste dia também a Igreja Católica comemora a Transfiguração do Senhor Jesus. 


O culto ao Bom Jesus da Cana Verde no Brasil remonta ao tempo colonial quando uma imagem foi encontrada na praia proveniente de um naufrágio. A Imagem que se encontra em nossa Igreja Matriz, chegou a Araguari pelos lados da “Lagoa Seca”, antigo bairro da cidade, hoje, Novo Horizonte, trazida para a matriz em carros de bois, 

em um cortejo e com uma grande festa, conforme relatos da Sra. Maria Elionora Oliveira Scalia, ex-Secretária de Educação e Cultura de Araguari.

                   Assim, todas estas mudanças, nos levam a refletir, que ao longo do tempo, a Igreja esteve sempre presente na vida das cidades, desde sua fundação até aos dias atuais, demonstrando a importância da convivência pacífica e ordeira entre os poderes estabelecidos. Nesta reordenação dos espaços da cidade, misturam-se o patrimônio leigo, o religioso e o público, onde novas tecnologias passam a conviver com as pessoas e aos poucos vão espalhando-se pelos traços urbanos.
        
                   Finalmente, é preciso que aprendamos a guardar nossas memórias, não só preservando edifícios, paisagens, mais principalmente o dia a dia das pessoas que residem na cidade. Esta convivência pacífica entre o religioso, o político e o social, se harmonizando em benefício da comunidade. Guardando para as gerações futuras, traços de uma história de glórias, de lutas e principalmente de muitas realizações.


Bibliografia: Documentos da Paróquia da Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus da Cana Verde.                 

Um comentário:

Criando, multiplicando, dividindo e somando ideias disse...

Que bom que estamos tão pertinho, já visitei sua cidade, ela é linda mesmo. Parabéns pelo post.
Bjux.